Cheias de Segredos - Má alimentação é principal fator de risco para adquirir doenças coronarianas

Imprimir
Instituto do Coração de Taguatinga

Doenças Coronarianas…

No Brasil, comemora-se anualmente o Dia da Saúde e da Nutrição no dia 31 de março, para marcar a importância da manutenção diária da saúde por meio de bons hábitos alimentares e de vida. Porém muita gente ainda não tem o devido conhecimento de como o fato de se alimentar mal pode interferir diretamente não só na aparência física, mas também na saúde de uma forma geral e, principalmente, do coração.

Um dos principais riscos que a má alimentação traz ao órgão é o aumento das chances de se adquirir doenças coronarianas. De acordo com o cardiologista do Instituto do Coração de Taguatinga (ICTCor), Dr. Bruno Jardim, tratam-se de doenças ou danos que acometem os principais vasos sanguíneos do coração. “Quando há depósito de gordura nas artérias coronárias, o fluxo sanguíneo que é bombeado para o coração é interrompido”, explica.

Ainda segundo o médico, esta interrupção é problemática, pois pode causar problemas como insuficiência cardíaca, arritmias, e até mesmo levar à morte. “Uma irrigação inadequada de sangue no coração pode provocar a morte do tecido e, consequentemente, um infarto do miocárdio”, adverte. Os sintomas mais comuns nestes casos são dores no peito, falta de ar, inchaços nos pés.

Como tratar?

Os tratamentos deste tipo de doença variam de acordo com a gravidade, podendo ser desde mudanças de hábitos até os procedimentos um pouco mais invasivos. “Em alguns casos mais brandos, a simples mudança alimentar e a introdução de exercícios físicos podem ajudar. Mas, às vezes, é necessário lançar mão de medicamentos ou mesmo de intervenções como a angioplastia e o cateterismo, que desobstruem as artérias cirurgicamente”, pontua o cardiologista.

Além disso, o médico alerta que os pacientes devem estar atentos para o risco de ter novos problemas após passarem pelos tratamentos e procedimentos. “Os bons hábitos devem ser extendidos por toda a vida. Até porque, o fato de uma pessoa já ter desobstruído as artérias, seja por tratamento medicamentoso ou por intervenções, não quer dizer que o problema não possa voltar. A prevenção é sempre o melhor remédio”, finaliza.

Melhor do que remediar

Como tudo na vida é melhor prevenir do que remediar, cuidar da alimentação deveria, de acordo com o nutricionista Daniel Novais, ser prioridade na vida de todas as pessoas. Não só para fins estéticos, mas principalmente como um investimento para a saúde a longo prazo. “É necessário ter essa consciência, porque o que nós comemos dita diretamente como será nossa saúde daqui uns anos”, declara.

Para evitar doenças como colesterol alto, diabetes, hipertensão e obesidade, alimentos com altos níveis de gordura e açúcar devem ser consumidos com muita parcimônia. “Frituras, industrializados, itens com alta concentração de açúcar e de gorduras saturadas são um verdadeiro veneno para a saúde”, adverte Daniel. “Uma alimentação rica em fibras, gorduras boas como as das castanhas e proteínas animais magras, e nutrientes encontrados em legumes e verduras, associadas a exercícios físicos, garantem um futuro mais saudável”, finaliza.