(61) 3035 9900 ouvidoria@ictcor.com.br

Apenas 6% dos casos de dor no peito atendidos em Emergências são potencialmente mortais

O problema não tem idade para aparecer e precisa ser investigado.

Segundo o periódico Health Day News (NY-USA), publicado em 15 de junho de 2016, apenas 6% dos americanos atendidos com queixa de dor no peito apresentam ou sofrem de afecções potencialmente letais como o infarto agudo do miocárdio.

Na maioria dos casos, não se encontra a causa. “Porém, a dor no peito pode representar uma doença grave e, também, isto não significa que as pessoas não devam se preocupar quando sentem uma dor no peito, muito pelo contrário. Dependendo principalmente dos fatores de risco, a investigação na Emergência deve ser bastante rigorosa antes de eliminar as causas de dor no peito potencialmente fatais”, disse a Dra. Renee Hsia, médica-chefe do Setor de Emergência do Hospital - Escola da universidade da Califórnia, em São Francisco. Nos EUA, em torno de 9.000.000 de pessoas ao ano procuram a Emergência devido à dor no peito. Neste cenário de dores no peito potencialmente fatais, se incluíram no levantamento: infarto do miocárdio, dissecção de aorta, embolia pulmonar, pneumotórax hipertensivo e úlcera péptica perfurada. Destes pacientes, 57% tiveram alta da emergência com diagnóstico de “dor no peito inespecífica” ou quando não foi encontrada a causa. O estudo foi publicado na edição de 13 de junho da revista JAMA Internal Medicine.

Horário de Funcionamento:

Exames e Procedimentos Eletivos

De Segunda a Sexta-Feira de 8h00 às 18h00

Hospital Anchieta - Centro de Excelência 4º andar

(61) 3035 9900 / (61) 3035 9901

Emergência e Urgência: 24h

Em parceria com a CardioAnchieta. (Pronto Socorro do Hospital Anchieta)

(61) 3353 9000

Ambulatório: Consultas e Pareceres

De Segunda a Sexta-Feira de 8h00 às 18h00

Hospital Anchieta - Centro de Excelência 8º andar
Torre B - Sala 816
Clínica Cárddio - Guichês 6 e 7

(61) 3035 9929 / (61) 3035 9930

Contato

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.