Síndrome de Bayés: nova síndrome relaciona bloqueio interauricular com fibrilação atrial.

 

Dr. José Sobral Neto - Cardiologista/Eletrofisiologista ICTCor

Em 2015 foi descrita na literatura uma nova entidade com maior incidência na população idosa que aumenta a predisposição a Fibrilação Atrial, e que foi denominada de Síndrome de Bayés. Caracteriza-se pela presença de sinais eletrocardiográficos de bloqueio interauricular, conhecido como bloqueio de Bachmann, que é um transtorno na condução elétrica entre as aurículas, geralmente secundário a um processo de fibrose auricular frequente nas pessoas de idade avançada, com maior risco de infarto cerebral e demência, provavelmente relacionado com trombos produzidos na aurícula direita.

Recente estudo conduzido pela Sociedade Espanhola de Cardiologia, conhecido como 4C – Caracterização Cientifica do Coração Centenário, cujos resultados foram publicados em 2015 no Heart Rhythm, comparou 80 idosos centenários com 269 septuagenários e verificou incidência de bloqueio interauricular de 26% entre os centenários frente a 8% nos septuagenários, e uma incidência de fibrilação atrial de 25% entre os centenários frente a 10% dentre os septuagenários.

O beneficio deste estudo é a comprovação da necessidade do tratamento antiarrítmico e anticoagulação precoce para prevenção das complicações acima citadas. Há evidências de que tal Síndrome possa estar relacionada também a uma maior incidência de Insuficiência Cardíaca, o que está sendo motivo de novos estudos.

Os bloqueios interauriculares conhecidos com Bloqueio de Bachmann foram descritos por Bayés de Luna em 1979 que os dividiu em 3 graus com os seguintes critérios eletrocardiográficos:

-Bloqueio interauricular primeiro grau (parcial): Caracteriza-se por atraso do estimulo da aurícula direita para a esquerda, através do feixe de Bachmann, gerando onda P bimodal em D2D3AVF com duração aumentada igual ou maior que 0,12seg.

-Bloqueio interauricular segundo grau (aberrância auricular): Ondas P com critérios do primeiro grau, porém com morfologia variável e transitória, desencadeadas por batimentos ectópicos ou mudança do ciclo.

- Bloqueio interauricular terceiro grau (avançado): Neste caso existe ativação retrógrada da aurícula esquerda com inscrição de onda P bifásica, com duração aumentada igual ou maior que 0,12seg., e fase negativa terminal em D2D3AVF. Em alguns casos pode chegar a Dissociação Auricular, quando cada auricula passa a ter ritmo próprio. 

Apesar do Bloqueio de Bachmann possuir várias causas inclusive a Doença de Chagas, a de maior prevalência é a senilidade e, tendo em vista o aumento da sobrevida população brasileira, devemos estar atentos ao diagnóstico desta nova síndrome e suas implicações.

 

Referências:

-Bloqueo a nível auricular/Alteraciones debidas a patologia auricular. In Electrocardiografia Clinica, A. Bayés de Luna – pag 103-108; 1992 Ediciones Doyma,  Barcelona.

-Sindrome de Bayés. Condea, D. et al - Arch.Cardio.Mex. vol84 no.1 México ene./mar. 2014

-Interatrial block and atrial arrhythmias in centenarians: Prevalence, associations and clinical implications. Martinez-Sellés et al - Heart Rhythm, 2016 Vol. 13, Issue 3, p645–651

-Electrophysiological Mechanisms of Bayés Syndrome: Insights from clinical and mouse studies. Tse, G. et al – Front Physiol. 2016; 7: 188

-Sindrome de Bayés. Baranchuck, A. et al - Rev Esp Cardiol. 2016;69:439 - Vol. 69 Núm.04

-Sindrome de Bayés/Bayés Syndrome. Gaviria, M.C. et al –Rev. Col. Cardiol

-Bayés Sindrome – What is it?  Baranchuck, A. et al  - Circulation. 2018;137:200-202